ARACRUZ

Reestruturação financeira, estratégica e operacional (1993-1999)

Luiz Kaufmann assumiu a Presidência da Aracruz em Maio de 1993, em um momento em que a empresa estava altamente endividada e os preços da celulose haviam caído aos valores mais baixos da história.

Na época, a empresa tinha uma dívida da ordem de US$1,1 bilhões, altamente onerosa, e faturava em torno de US$360 milhões/ano.

A missão definida pelos acionistas da Aracruz incluía:

  • Transformar a Aracruz de uma empresa com “perfil estatal” para uma empresa moderna, melhorando agressivamente o ROI;
  • Equacionar a estrutura de balanços;
  • Preparar a companhia para crescimento futuro.


Foram implementadas mudanças radicais na estratégia, cultura, organização, processos gerenciais e recursos humanos da companhia.

Com uma estratégia financeira criativa e desenvolvimento de grande credibilidade nos mercados internacionais, foi possível reduzir a dívida líquida para US$500 milhões e carregar esta dívida com receita financeira líquida.

Como resultado das medidas tomadas, a capacidade de produção cresceu de 400.000 ton/ano para 1.300.000 ton/ano, enquanto o quadro de pessoal caiu de 8000 para 2300 funcionários, sextuplicando a produtividade por empregado.

Durante os cinco anos em que esteve à frente da empresa, a Aracruz foi transformada de uma empresa problemática, em uma empresa considerada como a de melhor desempenho do setor a nível mundial.